quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Os felinos invadiram a Fonzie. Que tal conhecer a antologia ''Bichanos, contando gatos'' e concorrer ao livro?

''Todos temos paixões, e elas não precisam ser necessariamente humanas. Às vezes, amamos o improvável justamente por ser provável amá-lo, outras vezes amamos aquilo que nos faz bem, e a bondade é o mais puro dos sentimentos presentes em todas as criaturas. Amamos gatos por, embora não demonstrarem muito, sabermos que neles a bondade prevalece. A missão principal foi encontrar histórias que, mesmo tão distantes, dialogassem entre si de alguma maneira, não especificamente tendo gatos como tema central, e com certeza obtivemos êxito. ''Bichanos, contando gatos'' tende a revelar o lado mais sensível das criaturas, humanas e felinas, e explora de maneira magistral um mundo tão pouco explorado: a mente dos gatos. Ora, veja bem, gatos são discriminados, ainda, por não demonstrarem afeto da mesma forma que cães ou demais animais domésticos, mas será mesmo que são criaturas perversas e doentias ou a compreensão humana é tão vaga a ponto de não entender a maneira que eles têm de mostrar amor?'' - Clayton De La Vie - autor, organizador da antologia e fundador da Editora Fonzie


Título: Bichanos, contando gatos
Organizador: Clayton De La Vie
Autores: Apollo Souza, Clayton De La Vie, Emídio Penariol, Esther Lya Livonius, Gabriel Caetano, Geane S. B. Santos, Guilherme Olí, Ingryd Novaes, João David Alves, Leonardo Otaciano, Sarah Lynn
Publicação: 2016
Editora: Fonzie
Gênero: Antologia, Contos
Páginas: 76

COMPRE SEU LIVRO

Para concorrer ao exemplar do livro, se atente a duas questões ao final do artigo. Serão dois (2) exemplares ao total. Dessa forma, dois ganhadores. Lembre-se, os ganhadores devem ter endereço fixo no Brasil e o envio dos livros será feito em até 7 dias após a divulgação do resultado, dia 1 de novembro de 2016.

Quem nunca se pegou imaginando o que se passa pela cabeça de um gato em seus momentos mais agitados ou ainda enquanto fingem que dormem, mas seus olhos, entreabertos, os denunciam num momento rápido? Os autores de ''Bichanos, contando gatos'' conseguiram essa façanha e transmitem ao leitor boas aventuras felídeas vivenciadas literalmente na pele dos gatos. Mas, nem sempre isso acontece nesta antologia que, além de causar harmonia ao leitor, o leva diretamente à personagens graciosos e marcantes que, na vida real, pudessem ser discriminados pelo simples fato de não extrapolarem suas mais sensíveis afeições aos donos. Mesmo quando não são os protagonistas, eles se unem aos humanos para difundir morais importantes que levam o leitor a refletirem sobre os temas escolhidos pelos autores.


''Bichanos, contando gatos'' surpreende pela variedade de pensamentos que, mesmo para uma antologia onde a abordagem principal nota-se ser a mente felina, se espalha entre tantos sentimentos e ações cotidianas, cintilando boas vibrações e lições para os humanos. A leitura é muito tranquila e rápida e o livro pode ser lido até mesmo por crianças. Os autores capricharam em seus contos e esbanjaram talento ao comporem incríveis momentos, cada quais com suas características e toques especiais, mas sempre mantendo a leveza e clareza nas palavras, ponto muito importante e atraente da antologia. Ao ler as composições é impossível não adentrar ao espaço cativante, inocente, sereno e, às vezes até galático, dos queridos bichanos. 

''Ele ficou ali sentado por alguns minutos como num jogo de adivinhações, tentando descobrir de onde vinham os sons e o que eram, quando repentinamente Téo decidiu passar do outro lado para matar sua curiosidade. Tomou impulso e pulou, escalou o muro com suas garras e, ao chegar no topo, seus lindos olhos azuis quase pularam para fora...''
Emídio Penariol - A curiosidade quase matou o gato Téo


Na antologia o leitor encontra gatos filósofos, solitários, com nomes de importantes figuras mundiais, espaciais e até os mais populares possíveis. Os autores chamam a atenção por suas simpatias, mesclando-se perfeitamente ao estilo de seus divertidos bichanos apresentados na obra.

''O pelo negro, sujo e sem vida em meu corpo era a camuflagem perfeita quando misturado ao breu da noite. Meus olhos amarelos como âmbar foram treinados para a caça, com eles eu sou capaz de enxergar muito bem; quase fui atropelado algumas vezes, mas graças ao deus dos gatos (será que existe um deus dos gatos?) eu fiquei bem...''
Apollo Souza - Um (quase) Lobo solitário

Participar da antologia ''Bichanos, contando gatos'' foi maravilhoso. Jamais imaginei adentrar o universo felídeo de Gatuno, meu personagem peludo, e interpretá-lo com tanta diversão. O ato de escrever requer isto, diversão. Quando se tem esse júbilo ao escrever sobre quaisquer asserções, entende-se que o objetivo é alcançado com louvor. Percebi isso. Junto aos outros autores, combinamos com maestria as manisfestações de seres com capacidades incríveis. O aprendizado é garantido. Meu making of de ''Gatuno e o espaço do astronauta'' — conto que abre a sequência das composiões na antologia — reuni um estudo rápido porém preciso sobre o comportamento desses bichanos. Acredito que todos os autores se sentiram muito satisfeitos ao criar e representar com muito êxito esse universo. Todos são muito talentosos. Ler ''Bichanos, contando gatos'' é experimentar o novo de uma maneira completamente inusitada e singela. A Fonzie, o organizador Clayton De La Vie e todos os autores e envolvidos na publicação desta antologia têm a minha admiração e os meus aplausos. É, sem dúvida, mais uma troféu para a carreira tão promissora desses maravilhosos autores. Não estávamos juntos em corpo no momento de nossas criações mas a união, empenho e incentivo de todos para todos foi a base para o alcance da publicação.

''Embora seja necessário e encantador ter amigos, eles nem sempre estarão presentes na hora da conquista, mesmo que tenham te empurrado para a Via-Láctea do sucesso''.
Leonardo Otaciano - Gatuno e o espaço do astronauta

O livro é maravilhoso

●●●

Quer ganhar 1 exemplar da antologia ''Bichanos, contando gatos''?

É simples, basta curtir a página oficial da Editora Fonzie no Facebook (link no início da matéria) e deixar o seu comentário nesta matéria respondendo a seguinte pergunta: 

Por que é essencial se ter um gato estimado em nossas vidas?

Os donos das duas respostas mais criativas ganham um exemplar de ''Bichanos, contando gatos''. Boa sorte a todos. 

(Léo Otaciano, via Blogger app para smartphones)

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Gatos Permitem Ser Quem São

    Ao observar um gato podemos enxergar algo verdadeiro, original e acima de tudo uma maneira 100% autêntica de ser.

    Tal observação nos torna diferentes, e nos fazem pensar o quão é mais aprazível sermos quem somos por dentro, sem fingimento, disfarces ou até mesmo meras falsificações!!!

    ResponderExcluir
  2. Gatos são seres de sentimentos verdadeiros. Eles demonstram logo se gostam ou não de você, seja pulando no teu colo, ou no seu rosto, caso não tenham ido com a sua cara. Seus instintos são sempre apurados, pulando, subindo as cortinas ou te trazendo insetos, porque acham que tu não sabe caçar nada. Ter gato é, em si, uma história de aventuras, risadas e pêlos na camisa preta

    ResponderExcluir

  3. Primeiramente parabenizo a editora Fonzie pelo tema desse livro, achei muito interessante o tema felinos. Porém devo deixar minha opinião nesse espaço, devo dizer que, eu não curto a ideia de se ter animal dentro de uma residência, como sou um Ser extremamente organizado, eu não gosto de ter um felino e, ou outro animal de qualquer espécie dentro do meu lar. No meu entender animais devem viver em seu habitat natural, no caso dos felinos nas matas. No entanto não tenho nada contra a pessoa que o faz, e cá entre nós, não são poucas. Acredito que se eu gostasse de ter um felino em minha residência, talvez a parte boa seria que, felinos são animais silenciosos e furtivos, eu como aprecio por demais a quietude de um ambiente silencioso, como deve ser um lar, talvez eu apreciasse a presença desses felinos comigo. No mais eu realmente nunca teria animal nenhum em minha residência, contudo a ideia desse livro, é muito inovadora e, eu gostei muito disso. Forte abraço!

    ResponderExcluir
  4. É essencial ter um gato em nossas vidas, porque eles tem sete vidas e nós temos uma só, então, é melhor aprender com os mais experientes, que no caso são os gatos, essas criaturinhas lindas!

    (Vi uma foto desse livro no Instagram e fiquei super interessada nele, pois amo gatos <3! )

    ResponderExcluir
  5. Rapaz, ouvi boatos que o conto "Mère Chat" é um arraso. Nada confirmado, mas.... sabe como é, né?

    Gente, eu fiquei apaixonado pelo trabalho que a editora fez, realmente ficou incrível. A Fonzie está de parabéns. Me sinto orgulhoso de ter participado.

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd