domingo, 10 de abril de 2016

Making Of, curiosidades e sorteio do livro ''O Eterno Menino'', que completa 3 anos neste mês

Você já parou em algum momento da sua vida e ficou a lembrar de sua infância? Se sim, muito bem, você ainda tem a chama da infância e a carregou consigo durante todos esses anos de sua vida. Se não, tá na hora de você parar os seus afazeres e relembrar com saudosismo os seus melhores ou piores momentos daquele tempo bom no qual a gente ainda não se preocupava e nem imaginava os problemas da fase adulta.
''Quantos ensinamentos, quantas surpresas, quantos momentos. Foram tantos que não vão caber todos aqui. É intenso. As lágrimas já escorrem interminavelmente.'' O Eterno Menino

Em meados de 2011, fui tomado por uma larga necessidade de escrever algumas anotações sobre a minha fase de adolescência. Sabe, coisas como o nome da namorada mais perfeita, do melhor amigo, os relatos sobre a pior briga, o melhor dia da sua vida ou sobre a morte de algum familiar... Essa necessidade surgiu naquele ano mas só veio se tornar realidade em forma de livro dois anos depois, quando, a partir de janeiro de 2013, decidi pegar algumas folhas e escrever até cansar o dedo. Eu não tive controle, admito, e escrevi tudo em forma de lembranças bagunçadas, sem cronologia alguma, só para satisfazer a minha vontade de reviver aquela fase nem que fosse por alguns momentos e de forma imaginária. Era um desejo ardente, como uma louca vontade de fazer sexo, que só é alcançada quando se chega ao ápice daquela ânsia, como um orgasmo. No caso, o término do processo de escrita e a publicação efetiva da obra foi para mim um momento como este ato. Mas não ficou por aí não. A vontade era tão intensa que me levou além do que eu necessitava e quando percebi tinha 11 anos de novo. Sim, eu havia voltado no tempo além do tempo que eu queria.

Ah, minha fase de infância... Ah, meus 11 anos! Quem dera pudesse voltar lá e me ver novamente no espelho com a altura minguada, a cara lisa, a mente não tão poluída como hoje, os cabelos arrepiados como os de um gato amedrontado e a imaginação fértil e transparente como uma planta que nasce, cresce e se floresce em dias ou um pote de vidro com água límpida que reflete a beleza natural de uma criança. Ah, que dias bons...

Mas, você sabe que ainda é possível voltar lá? Sim! Assim como em 2013, posso retornar aos tempos antigos e reviver um pouquinho daquilo novamente. Mas, dessa vez te convido a fazer isso comigo, que tal? Vamos? Então, me acompanhe nesse Making Of do livro ''O Eterno Menino'' e descubra algumas novidades do processo de gênese da obra.

Quando criança sempre me imaginei escrevendo um livro na fase adulta. E tentei várias vezes, mesmo com os meus oito anos. Digo que até que me saía bem. As primeiras folhas eram compostas por rabiscos e desenhos e, grampeadas ao término. Aquela arte pra mim era um livro. O meu livro. Lembro-me de títulos como ''Nos Trilhos da Amizade'', ''A Festa dos Bichos da Mãe Natureza'', ''A Corrida Espetacular'' e ''Horrores da Noite''. Essas histórias, de fato, serviram para que o meu espírito de autor não se perdesse durante o processo de amadurecimento na vida. Crescer pode ser, às vezes, um processo de muitas perdas e mudanças. Perde-se os brinquedos, os sonhos, as lembranças e muda-se a cabeça.

Quanto as minhas histórias infantis, hoje não as tenho mais. Guardei-as até onde consegui mas as perdi em algum momento que ainda não sei qual. Entretanto, novas histórias surgiram. ''O Eterno Menino'' foi a primeira.

O processo de criação do livro foi iniciado em janeiro de 2013 e durou até meados de abril do mesmo ano. Eu escrevia em todas as tardes, no terraço da casa. Algumas folhas já haviam sido preenchidas um tempo antes e serviram como o ponto inicial do processo. Eu quis transmitir VERDADE. Escrever uma história onde os acontecimentos fossem baseados em minha própria rota de vida foi tocante. Os amigos da infância e da adolescência reapareceram na minha frente e não queriam ir embora. Foi como regravar cenas. Os vi ao meu lado. Sentados, em pé, quietos ou criando aquela algazarra que a gente tanto costumava fazer na escola ou na rua. As lembranças boas e ruins estavam ali, à minha frente, prontas para serem registradas de forma mais completa e comovente.

Os seis primeiros capítulos estão escritos nessas folhas.
Estas são as folhas com as primeiras anotações. Virariam, meses depois, conteúdo de ''O Eterno Menino''.

O título não seria este. A primeira frase que surgiu à mente foi ''Idade Complacente'' — observando diretamente o sentido de uma idade amável — mas isso não soava nada como um livro. Em seguida, ''Crônicas de uma Idade Notável'' também apareceu como possível título para a obra, mas não me agradava tanto assim. Desisti do título e parti para a continuação da escrita, o término da história estava próximo. Já havia escrito vários momentos da minha vida e em todos eles mantive os nomes originais das personagens. Talvez tenha sido um jeito de homenageá-las e agradecê-las por tudo o que significaram para mim. Quando enfim, terminei e revisei toda a história, me dava conta de como tinha ficado perfeito. Talvez muitos não gostassem mas para mim estava perfeito.

O projeto de capa seguiria o padrão apresentado na imagem da esquerda.

A mensagem que eu queria transmitir estava lá. "O eterno menino não é uma pessoa perfeita. Tem erros como todos os outros. Não é o protagonista herói. Cresceu a cada fase e amadureceu seus pensamentos e atitudes enquanto se descobria e descobria o sentido da vida". Quando adulto, ainda sim sentia o velho espírito infantil e alegre que sempre teve e retratava para quem o lesse, a beleza encontrada em cada fase da existência humana mesmo em dias ruins. O tema era voltado para condutas e valores humanos, para o despertar das lembranças, para o reconhecimento do seu próprio 'eu'. Léo — o protagonista —, precisava falar. Precisa dizer tudo o que a sua criança ainda viva queria mostrar para outros tão iguais ou não a ela.

Com a história concluída, o título enfim surgiu. Mas isso ocorreu após a imagem de capa ser cedida gentilmente por um amigo fotógrafo dinamarquês. A imagem era o próprio título. A feição da criança retratava tudo o que a história dizia e tudo o que eu, como autor e protagonista do enredo queria retratar. Era perfeita. Seus olhos expressavam ternura, tristeza, lembranças, dúvidas e verdade. ''O Eterno Menino'' estava, enfim, pronto para ser publicado. Este é o livro mais importante de minha carreira literária, sem ele, os demais não existiriam. Foi importante chegar no cenário da literatura me apresentando com uma história que fala sobre mim.

''Com onze anos podíamos ser tudo e eu escolhi ser discípulo da vida.''
O Eterno Menino

Os comentários, após a publicação, foram de puro incentivo, tanto de amigos quanto da mídia crítica. Tenho consciência de que naquela ocasião ainda não tinha uma certa habilidade com as palavras e sei que o que foi escrito era consequência da emoção e descartava o mínimo uso de técnicas de linguagem e escrita. Mesmo assim, sinto-me contente ao recordar os dias após a publicação de ''O Eterno Menino''. O livro ficou algumas semanas na 1ª posição dos destaques do site Clube de Autores, entre os mais desejados, visualizados e compartilhados. Atingiu também uma posição de destaque no IV Prêmio de Literatura Contemporânea do Clube de Autores, chegando na fase final do concurso. Isto é gratificante e muito significativo para mim. Na época, para um autor iniciante o retorno positivo que o público deu foi muito importante.



Algumas curiosidades:


  • O capítulo 21 da obra foi escrito no dia da morte do músico Chorão, vocalista da banda Charlie Bronw Jr. Por ser fã do grupo e como forma de homenageá-lo, o capítulo recebeu o nome de uma de suas músicas, ''Dona do meu pensamento''.
  • A versão de ''O Eterno Menino'' que está a venda no site do Clube de Autores é a 2ª edição da obra e conta com trechos e capítulos novos e uma ortografia melhor revisada.
  • A inspiração para a obra veio após uma releitura de ''O Meu Pé de Laranja Lima'', livro de José Mauro de Vasconcelos, um de meus autores preferidos.
  • No tempo de escrita do livro ninguém teve conhecimento. Eu fiz tudo ''secretamente''. Foi uma surpresa para todos quando o publiquei.
  • O capítulo 13, ''Contagem regressiva'', não seria incluído na obra por conter uma dosagem muito forte de sentimentos para mim. Retrata curtamente um dos piores momentos de ''O Eterno Menino''.

Aqueles que estiverem Online no Facebook no dia 24 de abril — dia de aniversário de 3 anos da obra — poderão concorrer ao exemplar autografado do livro. Será feita uma brincadeira em meu Facebook pessoal que vai ficar no ar o dia inteiro. Será super fácil e TODOS que comentarem na brincadeira vão estar concorrendo. Então, fiquem ligados.

Para fazer a compra diretamente no Clube de Autores basta clicar AQUI. Aproveitem as super promoções do site e adquiram seu exemplar com até 25% de desconto.


Outros links relacionados ao livro






Um forte abraço a todos vocês e obrigado por acompanharem o #ML. Espero que tenham gostado de saber um pouquinho mais sobre este livro que é muito especial para mim. Se você ainda não o leu, não perca mais tempo. Garanta já o seu.

"

Cresceu com os erros e
Do outro lado não desejou ficar
Parou, analisou e viu que era bom
Bom demais que até os bons duvidavam

Eu não acredito que ele pulou!
Se lançou num mar de fantasias
Se jogou num espaço de emoções
Voou pelos ares da felicidade

Bebeu água da bica
Um menino das ruas de janeiro
Um moleque dedicado ao bem
O cara do efeito sonoro dançante

Trecho, O Eterno Menino

"

Até a próxima.


Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Três anos? Parabéns! O post ficou lindo!!!
    Amo o livro. É o meu predileto!!!

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigado! Sim, 3 anos de ''O Eterno Menino''.

    Que bom que gostou do post. Valeu pelo comentário.

    Abraços. :-B :-B

    ResponderExcluir
  3. Parabéns Léo "O Eterno menino" é um livro pra vida!!!

    ResponderExcluir
  4. Obrigado Luh. Fico feliz que o livro tenha lhe agradado.

    Beijos. ;)

    ResponderExcluir
  5. Aniversário de três anos? Uau!!!Uma vida. Que apresentação lindíssima,só aguçou a vontade de lê-lo. Percebi que vou amar "O Eterno Menino".Não vejo a hora de receber o meu.Obrigada por nos ceder um pouquinho de você nessa brilhante aventura. Parabénss!!!

    ResponderExcluir
  6. Geh, minha querida, agradeço imensamente por ser admiradora do meu trabalho como autor. Ter pessoas como você, os amigos Livrescos e outros mais que me incentivam é muito gratificante.

    Quando iniciei queria muito passar minha mensagem. Hoje vejo que consegui mais do que isso. Conquistei pessoas e amigos que seguem comigo na estrada da vida. Isso é maravilhoso.

    Você vai amar 'O Eterno Menino'. Tenho certeza que de forma bem simples o livro vai mexer com você.

    Beijos. :)

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd