segunda-feira, 7 de março de 2016

Informativo: A criança do mundo contemporâneo

Fotografia de Deyan Georgiev

Olá meus amigos do Marcas Literárias, sejam bem-vindos.

Não se assustem, vocês estão acessando o conteúdo do mesmo blog mas agora temos um novo visual e ele está um pouco diferente do anterior. Tive uns problemas com o layout antigo e as mudanças se fizeram necessárias. Espero que estas mudanças não causem nenhum desgosto em vocês que acompanham o #ML. Optei por um estilo onde tudo ficasse ainda mais organizado, dessa maneira todos podemos nos sentir ainda mais confortáveis enquanto acessamos as matérias.

Hoje quero iniciar a semana com um informativo bem legal. Vocês já pararam para pensar nas crianças do mundo moderno? Já tiveram a percepção de que as atitudes e modo de viver delas estáão diferentes quando comparada a de tempos atrás? Por que será que isso aconteceu? O mundo e sua tecnologia que evoluem acelerados são mesmo os culpados? Talvez vocês não entendam a colocação do termo culpado na pergunta mas lhes convido a ler e debater este assunto junto comigo. Vamos lá!

As crianças e os adolescentes são, sem dúvida, as pessoas que mais sofrem com as mudanças impostas pelo cenário social ao longo dos último anos. Eles procuram se adaptar a estas diversas transformações da sociedade em que vivem mas não se preocupam tanto com a questão. Decerto, o assunto enfatizado toma grandes proporções quando debatido entre os mais experientes. O que era bem mais fácil nos tempos antigos, mas nem tão antigos assim, levando em conta pelo menos os vinte anos passados, tornou-se mais dificultoso nesta nova era. Pode-se afirmar que, de acordo com pesquisas realizadas por profissionais da área da educação e cultura brasileira da atualidade, os pais são elementos que determinam também a modificação no comportamento dos filhos, idealizando para eles uma infância singela que retrata as suas próprias infâncias vividas anos atrás. Ao contrário, as crianças se espantam com o contraste retratado e afirmam viver uma infância totalmente diferente, modificada pelo cenário moderno onde a mídia e o entretenimento exagerado se apresentam banalizados, muitas vezes até, corrompendo alguns valores que os pais acreditam ser preciosos para a formação dos pequenos.



A realidade não é oculta, as crianças do mundo atual já nascem em um universo envolto por tecnologia e mídia. Adentram de forma automática em um círculo social onde as coisas acontecem de forma ligeira, fazendo com que elas de certa forma "amadureçam" seus pensamentos e práticas de forma muito precoce, tendo acesso replicado a muitas informações e opiniões liberadas em diversos meios de comunicação. Quanto as brincadeiras ao ar livre, onde as crianças de antes sujavam os seus pés na lama, corriam entre as árvores, subiam em pés de manga e brincavam de forma compartilhada, deixaram de ser comuns de se ver. As brincadeiras individuais ou em ambientes fechados - principalmente nos centros urbanizados onde o uso da ciência moderna é relevante, principalmente a mídia eletrônica - se tornaram mais populares entre as crianças, que a cada geração usam e partilham menos o que há em sua volta, a natureza. O apelo exagerado do consumismo acarreta em uma infância mais fechada, na qual as propagandas da mídia associam valores individualizadores e diferentes aos dos tempos passados. A interação que cada uma dessas crianças tem com o mundo moderno e o consumo alienado, se tornaram práticas sociais populares. Para os educadores esta realidade é um grande desafio pois o embate de valores é reproduzido pelas experiências que essas crianças contemporâneas carregam, deixando de lado a velha imagem que a antiga sociedade trouxe de crianças inocentes.

Uma forma muito prática para travar a afinidade das crianças com essa "quebra de valores" exposta, mas que, ao mesmo tempo, torna-se desafiadora para pais e educadores é impedir que elas estejam à disposição das instruções ditadas pela mídia. Decerto os pensamentos são de que elas possam aproveitar tudo o que a modernidade lhes oferece, entretanto para àqueles que idealizam para essas novas crianças o habitual conceito de infância, acredita-se que seja necessário apostar em uma educação que as direcione a outros códigos de sociabilidade. Contudo, entende-se que, a criança do mundo contemporâneo nada mais é do que a criança avançada que os adultos não pensavam em ser enquanto pequenos.


Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Gostaria muito de ver crianças livres, leves e soltas. Não conheço todas as realidades brasileiras. Mas vejo que é tão difícil em certos lugares criar essa tal liberdade. E nem é tanto pela tecnologia, basta ver as moradias. Crianças morando em apartamentos não tem quintais. As ruas se tornam cada vez mais perigosas. As poucas crianças que parecem ser iguais as do passado empinam suas pipas com as tais linhas perigosas que cortam os pescoços de ciclistas e motoqueiros.
    Não está fácil nem para adultos. Atividades que eu exercia antigamente são feitas pelo celular, tablet e notebook. Esses aparelhos são meu telefone, minha tv e minha biblioteca e tudo isso facilitado por um click. E também não sei até que ponto é ruim e até que ponto é bom. Tenho uma amiga que declara que a única felicidade dela é ler minhas postagens. Ela vive numa cadeira de rodas e seus pais idosos não tem condições de levá-las à passeios. Acostumou-se a viver no mundo da tela e tirar sua felicidade dela.
    Não tenho respostas prontas para essas questões. Não sei como fugir dessas coisas. Não sei se a questão é mudar, conflituar ou adaptar-me. Apenas que em meio a tudo isso com trancos e barrancos, vou em busca da felicidade sem medo de errar, mas depois analisando meus erros para consertá-los. Eis a vida marcada com tantas possibilidades. E às vezes até com a possibilidade da incompreensão. Algo que nem é fruto da tecnologia, pois faz parte história da humanidade desde os primórdios.
    Parabéns pelo novo visual do blog. Só senti parte dos seguidores.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por compartilhar a sua opinião. Valeu Fernando.

      Abraços.

      Excluir
  2. No comentário anterior, a frase correta é "Só senti falta dos seguidores.
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O blog ainda não está completo. Ainda serão feitos ajustes assim como adicionado alguns elementos de importância na sidebar.

      Obrigado.

      Excluir
  3. Hoje em dia as crianças estão mas presas dentro de casa e com isso acabam ultilizando os produtos eletronicos eu culpo os pais por que eles deveriam influencia os filhos a ler a brincar de carrinho de bonecas e por ai vai, mais eles acham mas comodo os filhos ficar na frente de um computador, video game,celular etc...Mas tem aquela velha historia não esta dando para as crianças brincarem nas ruas não temos segurança.Ameiii o texto Leo, parabénsss.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Beta, concordo também. Mto obrigado pelo comentário. Beijos.

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd