quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Resenhando: ''O Tesouro de Caularom'', de Lívia R. Stocco

Grandes apreciadores do Marcas Literárias, olá!!! Estou de volta para mais uma resenha de nacionais no Blog. Estou bem feliz com esta minha última leitura e quero compartilhar com vocês tudo o que encontrei e aprendi ao ler o livro ''O Tesouro de Caularom'' da autora Lívia R. Stocco. Bem, o livro foi publicado de forma independente através do Clube de Autores e por ironia do destino eu acabei o adquirindo, aliás, adorei esta ironia, sabe por quê? Ah, isso eu vou contar agora. Vamos nessa...


Título: O Tesouro de Caularom
Autor: Lívia Rolim Stocco
Publicação: 2014
Editora: Agbook / Clube de Autores
Gênero: Fantasia, romance
Páginas: 88


Sinopse: Esta é a história da criação do Tesouro de Caularom, um dos sete Objetos Supremos. Plúnio nasce uem berço de ouro e é herdeiro da coroa de Darfindor, reino que escraviza os indarae, que viviam nas florestas. Mas sua vida e suas escolhas são afetadas pelo proibido e desesperado amor pela bela Landell, escrava que guarda um segredo que pode mudar o destino de todos.


Esta história se passa nos tempos de Ainda Luz, antes da Grande Guerra, antes que o mundo de Bhardo fosse privado da luz de seu próprio sol.

Magníficas criaturas do mundo da fantasia, extensos reinos povoados por seus elementos peculiares e diferentes, segredos esquisitos escondidos nas profundezas dos mares... vamos conhecer agora a história de Landell, filha de escravos Indaraes que serviam ao reino do príncipe Plúnio, filho do Rei Plaico e da Rainha Flúnia, grandes líderes supremos do país superior, Darfindor.

O príncipe Plúnio, cercado de mimos, percebe que a riqueza do seu reino é baseada na escravidão do povo Indarae, cujo Landell, sua melhor amiga - que também mora no palácio e confia os segredos do garoto desde a infância -, faz parte. 

A história começa um tanto confusa, com muitos detalhes lançados para o leitor de forma um pouco desesperada, como um bombardeio de informações. Porém, aos poucos, é possível compreender as referências escritas por Lívia R. Stocco e se sentir parte do enredo. A sua escrita é bem detalhista sim, entretanto possui também uma leveza importantíssima espalhada por toda a obra. Ela conseguiu segurar a empolgação inicial e conteve-se no reino de Darfindor, chamando o leitor para participar da história após o prólogo e o início do primeiro capítulo, momento em que o leitor começa a respirar melhor e entende que já está na história.

Capa do livro de Lívia R. Stocco. Bem elaborada.

Em ''O Tesouro de Caularom'' não vamos encontrar tanta fantasia assim, como talvez, imaginado por alguns leitores empolgados pela premissa e título. Mas calme, isso não é desesperador. O livro é ótimo! Assuntos sólidos se passam em um reino fantástico. O mundo de Darfindor é magnífico, muito bem desenvolvido e acredite, único. É tudo complexo, extenso, com calabouços, castelos, salas de escravos, salas de torturas, florestas mágicas e lagos que têm suas águas controladas por um Ser Maior. Há fadas também, mas em Darfindor elas não são seres tão mágicos e especiais quanto conhecemos. Chega a ser impressionante. E para os admiradores de romance, nada melhor que saber que o eixo central do tema do enrendo é voltado para o amor proibido entre o príncipe Plúnio e a escrava Landell. É nobre repassar algo que não é spoiler, os dois se amam, e isto fica claro ao leitor bem ao início do primeiro capítulo. Este romance fez diferença ao enredo, que certamente não teria o mesmo sabor sem os embaraços deste reprimido amor.

''É tudo por causa de Plúnio", Landell pensava. ''Se não fosse por ele, eu não estaria nervosa. Se não fosse por ele, eu me controlaria o tempo todo. Por que ele tinha que existir? Porque ele tinha que ser amigo dela? Por que ele era tão especial?''

Há várias linhagens e reinos descritos na obra de Lívia R. Stocco, não os citarei aqui um por um, mas afirmo que ela soube caracterizá-los muito bem.

A primeira mensagem que o leitor vai encontrar em ''O Tesouro de Caularom'', é a luta pela igualdade. Landell e seu povo lutam por isto e através do grande tesouro enviado por Caularom - um tipo de deus das águas. Ela, escolhida, tentará pôr um fim às crueldades dos darfinrenhos. Muitos reinos, considerados inferiores pelo rei, eram menosprezados e seus povos sempre levados à tortura. Muitos se rebelavam e outros já pensavam em fuga. A guerra era inevitável. Foi possível entender neste ponto, o clima mais sisudo que a obra começava a trazer, transformando a sutileza fantástica em uma realidade sangrenta. 

''No fundo, Plúnio sabia que isso representaria a morte para a maioria dos fugitivos... Os indaraes foram dizimados. Os soldados comemoraram, naquela noite, dançando e bebendo na vila mais próxima.''

A autora demonstrou grande talento. Sua escrita consistente é simplesmente fantástica. Ela não fica a dever nada para grandes autores de obras do gênero. O seu mundo foi tão bem elaborado e apresentado, que é preciso usar um nível de atenção um pouco maior ao ler ''O Tesouro de Caularom''. Não há nenhum furo na história, e apesar de constatar que poderia haver muito mais ação e aventura no percorrer da obra, o livro desempenha muito bem o papel de "cardápio inicial" para aqueles que ainda não conhecem o Mundo de Bhardo de Lívia R. Stocco.

A autora

''O Tesouro de Caularom'' é um livro que facilmente se tornaria um filme ou animação 3D por apresentar características importantes e enredo tão bem incorporado, onde tudo acaba fazendo sentido e o objetivo central se torna realmente importante. Apesar de apresentar conteúdo com características um pouco diferentes e mais adulto, não há como deixar de recordar as animações ''Arthur 3 - A Guerra dos Dois Mundos'', baseada no livro homônimo (com título original Arthur 3 - La Guerre des deux mondes) e Epic - O Reino Escondido (Epic), animação de fantasia-aventura e drama, baseada no livro infantil ''The Leaf Man and the Brave Good Bugs, de William Joyce, pensando nestes como exemplos de histórias com reinos fantásticos.

''Landell pensava e pensava, o grande diamante azul girando em seus dedos. A pedra se transformara, e agora pulsava numa luz profunda e azul, que hora iluminava e hora roubava toda a luz.''

Sobre este tesouro que intitula o livro, ressalto apenas que trata-se de uma joia azul que Landell encontra e carrega com ela durante a história. O que ele faz? Bom, aí vocês terão que ler o livro.

Outra mensagem importante retirada de ''O Tesouro de Caularom'' é o abuso de poder praticado por aqueles que se auto-intitulam superiores. Desde os tempos antigos e até nos mais diferentes reinos, os que estão no maior cartel esnobam seus "inferiores".

Os personagens da obra são amáveis e odiosos. Sem exceção, foram bem apresentados ao leitor. A autora mostrou que em cada um deles havia dúvidas, tristezas, segredos e que apesar de tantas diferenças, todos buscavam em caminhos diferentes, um mesmo ideal. No fim, retratando novamente o amor proibido dos protagonistas por serem de reinos distintos, pensa-se novamente em uma das perguntas que atravessam gerações: afinal, quem é capaz de mandar nos sentimentos do coração?

As letras escolhidas para o miolo do livro não agradam. São pequenas demais e causam esforço à visão. Mas tudo bem, é uma obra independente e é certo de que já deve tenha sido corrigido em outras versões da obra.

Apesar das letras muito pequenas. a história vale a pena.

Quanto ao final, é revelador e desmonta qualquer possibilidade de desagrado. Compreende-se e obtém-se respostas para tais atitudes do protagonista durante a história. A narrativa em 3ª pessoa flui muito bem. Os termos usados são característicos do gênero e não forçam o leitor a descansar. Até mesmo eu, que não sou tão fã assim do gênero, senti-me dentro do castelo do príncipe Plúnio, observando aos montes o poder da pedrinha azul que Landell carrega consigo. Sem dúvida, 5 estrelas para Lívia R. Stocco e o livro ''O Tesouro de Caularom''.





E para quem quiser acompanhar a escritora e suas outras obras, basta acessar o link www.bhardo.net

Você já leu algo da autora? Diga o que achou.

Um forte abraço a todos e até a próxima.



Comente com o Facebook:

8 comentários:

  1. Respostas
    1. Valeu Luciano, que bom que gostou. O livro é muito interessante. Abraço!!

      Excluir
  2. O fato de você ter escolhido esse livro me fez pensar em algumas coisas. Aliás, preciso repensar uma porção de atitudes.
    Sobre a resenha em si. Não tem o que dizer. Sua redação, ou seja, a maneira que descreve os livros é estupenda!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, meu amigo, que demais que isso tenha acontecido. Uma resenha em si, tem mesmo várias finalidades. Uma delas é justamente isso, fazer o leitor pensar em alguns assuntos. Fico feliz que tenha gostado. Um abraço.

      Excluir
  3. Sempre com resenhas divinas meu amigo. Fiquei curiosa quanto a história (amo fantasia), mas a única coisa que talvez não me agrade muito, é o fato dos "detalhes", gosto de detalhes, muitos são cruciais para o nosso entendimento, mas nem todos. Bom é isso rs, mais um livro pra minha lista de desejados.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que tenha se interessado pelo livro. Valeu!!! Beijos.

      Excluir
  4. Resenha magnífica, livro muito interessante.
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  5. Obrigado minha querida, ter sua presença constante no blog é muito importante. Lembro que todos vocês fazem parte dele.

    Beijao.

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd