sábado, 23 de janeiro de 2016

Resenhando: ''Os Goonies'', de James Kahn

Olá galera, estou de volta! Trago hoje para vocês a resenha de um livro que comprei ano passado e que, em versão filme, marcou uma etapa da minha vida. O livro em questão é ''Os Goonies'' uma obra criada por Steven Spielberg e escrita pelo autor James Kahn. Vamos lá então...


Título: Os Goonies
Autor: James Kahn
Publicação: 2012
Editora: Darkside
Gênero: Infanto-juvenil, ficção
Páginas: 240


Sinopse: O clássico filme criado por Steven Spielberg, volta direto dos anos 1980 em um livro inesquecível, criado durante o processo de produção e filmagens do longa-metragem. Descubra ou redescubra o universo mágico dos meninos e das meninas das docas Goon. O livro nos leva além do filme nos dando detalhes dos personagens e contando o que aconteceu depois do final antológico.

Esta é uma história do tipo "Não seria incrível se... A magia de Os Goonies está sobretudo naquilo em que esses amigos se tornam uns para os outros" - Steven Spielberg 


Galera, vou iniciar a resenha dizendo a seguinte frase a todos vocês: se querem me conquistar me convidem para um passeio de volta aos anos 80, pois eu simplesmente amo essa década. Bom, apesar de ser quase impossível, vou tentar não comparar em muitos aspectos, o livro com o filme, pois o que está em jogo aqui é a obra escrita por James Kahn, e não a produção de Steven Spielberg.

É possível começar relatando que, para quem é adepto de muita aventura, comédia e ficção, o livro agradará bastante, pois traz isto de forma grandiosa durante o enredo. Há verdadeiramente a "viagem no tempo" (para quem já viveu isto antes), onde os aventureiros carregam o leitor o tempo todo por suas trilhas e cavernas superlotadas de perigos.

A história é muito divertida e se passa em Astoria, Oregon. Tudo se inicia quando o dia está entediante para Mikey Walsh, protagonista e narrador dos fatos. O personagem recebe a visita de seus amigos Bocão, Dado e Gordo e após alguns contratempos encontram no sótão da casa um antigo mapa do tesouro. Animados com a descoberta, saem em busca de aventura. O sinal marcado no mapa os levariam diretamente para as Docas Goon e lá encontrariam o navio pirata de Willy Caolho, morto há mais de cem anos mas ainda guardador de uma fortuna. Durante a trama surgem personagens importantes, como Brand - irmão mais velho de Mikey -, as garotas Andy e Stef, e a família Fratelli - Mama e seus filhos Jake, Fracis e Sloth (o filho-monstro).

O livro faz parte da série, #filmesparaler - cine book club, da Editora Darkside.
Olhem que marcador super bonito veio junto com o livro.

Todos os personagens são muito bem caracterizados pelo autor e a linguagem usada, com gírias e palavras populares da época proporcionam ao leitor uma leitura muito agradável e bem adaptada ao tempo em que se passa.

''Mas logo aquele estranho vento de outubro soprou através da janela do sótão e, de repente, eu sabia que algo estava para acontecer. E realmente aconteceu. Portanto, esta é a história do que aconteceu naquele último longo dia do outono passado, o dia antes do nosso despejo. E eu sei que uma boa parte desta história vai aparecer difícil de engolir, mas juro por Deus que cada palavra é verdadeira.''

''Os Goonies'' é um livro que fala sobretudo de amizade, união e seus valores retratando isso muito bem em vários trechos. Conceitua também a questão das diferenças. O Gordo, por exemplo, era o ''diferente'' da turma e motivo de risos no grupo e ao encontrar o filho-monstro de Mama - durante a sua aventura em busca do tesouro -, acaba se identificando muito com o grandalhão por serem exatamente parecidos neste aspecto. São os ''diferentes''. 

O personagem Mikey, narrador da história, é super sensível e meigo. Mesmo vivendo em uma década onde a forte influência por brincadeiras e atos maldosos começa a nascer entre os adolescentes, Mikey conseguiu transmitir uma pureza que chegou a ser muito cativante. Aliás, isso é observado no livro todo, não há apelo sexual ou violento. Particularmente, gostei disso.

O que se vê muito na obra é a perspicácia dos jovens Goonies, desde os primeiros capítulos, onde Mikey já relata as suas fantásticas criações. Há diversos trechos onde é possível ver muitas engenhocas feitas por ele e por Dado, que adoravam fazer e refazer dispositivos que funcionassem a seus critérios. Isto é um fato muito marcante também naquela década, era comum as crianças norte-americanas se cercarem com seus mecanismos próprios em suas casas nas árvores. O fator coragem também é um dos pontos principais da história, até quem era medroso se permitiu passar por toda a aventura, tornando-se dessa forma, um bravo aventureiro.

''Corremos para a lareira. Peguei uma pá e fiz sinal para os outros descerem pela passagem abaixo do piso falso - pensar nas prioridades, mas imaginei que, já que estávamos fugindo dos Fratelli, não custava nada procurar também o tesouro enterrado ao mesmo tempo.''

O enredo se tornou muito mais atraente por ser narrado em primeira pessoa, foi saboroso degustar de todos os fatos e detalhes mencionados a partir do ponto de vista de um dos meninos. Provavelmente, se o narrador não estivesse presente na história, ela perderia sua emoção.

É um livro indicado não somente para os fãs do filme e dos admiradores da época mas também para os adolescentes do mundo atual, para que realmente sintam o calor humano os envolvendo durante a leitura enquanto descobrem o que era uma infância de verdade. Hoje, cercados e experimentando uma excessiva tecnologia, o brilho garboso desse valor é aniquilado. Muitos não sabem o que é viver uma aventura de verdade acompanhado de seus amigos. No livro, torna-se impossível o leitor não sentir vontade de se envolver na jornada dos personagens das Docas.

Um pouquinho de comparação com o filme:



O enredo do livro, apesar de ir além das cenas do filme, relatando trechos exclusivos, é bem idêntico ao observado nas telinhas do cinema, mas não chega a ser fantástico. Mesmo que dessa vez se possa entender melhor os sentimentos de Mikey a respeito de vários aspectos, em determinado ponto da história do livro, o leitor se sente perdido e, às vezes, consumido, pois tudo acontece de forma muito rápida. Isto é bom, pois é empolgante, um acontecimento novo a cada minuto de leitura, escrito de forma bem simples, mas, de repente, parece que não haverá mais coisas para acontecer, uma vez que tudo passou tão rápido restando apenas o final da obra. E é neste ponto que surgem pedaços que pareceram desnecessários, como se fossem apenas para preencher algum vazio encontrado. À parte, me senti aflito e decepcionado neste ponto, pois a narrativa já tinha se encaminhado para o seu final quando uma série de rodeios na história aparecem. E não é por comparar os trechos ao filme que digo isto, mas sim por entender que não fez muito sentido eles estarem lá, me senti aborrecido quando ''forçado'' a ler algumas partes que causaram a sensação de náusea e cansaço momentâneo.

Há momentos em que o livro é muito melhor do que o filme - em sua maioria -, mas em outros, o filme acaba levando certa vantagem. Não sou um fã de ''Os Goonies'', apenas apreciador do filme desde pequeno, e talvez quem seja um grande fã não goste deste ponto de vista, entretanto, num todo, o livro é melhor do que o filme, sim. Enquanto no filme percebe-se muitas vezes um humor forçado e exagerado, no livro isto acontece de forma muito mais natural. Assim como cenas realmente mentirosas (o que é normal em filmes de ficção e aventura), se tornam no livro, totalmente autênticas, reais.

O livro foi lido em apenas algumas horas. A leitura é maviosa. Um livro encantador e divertido.

Vale a pena relembrar que aventura é o que não falta em ''Os Goonies''. Há trechos que relembram outras grandes compilações cinematográficas de Steven Spielberg, dentre as mais marcantes, a série ''Indiana Jones''. O leitor se depara com pedregulhos que caem e rolam em direção aos aventureiros, morcegos em seus milhares que aparecem após um acesso secreto ser aberto e sons de grunhidos sombrios em outras compartições.

''Ouvi esse rangido absurdo e a primeira pedra começou a vacilar. De repente, sem pensar, todos correram atrás dela. Olha, eu não sou muito forte, mas fui muito rápido, mais rápido do que o velho Chester, naquela hora, então corri junto com todos os outros. Igual brincar de pega-pega.''

Voltando ao livro:

Um segmento muito importante percebido na obra, é a imagem positiva que o garoto tem do irmão mais velho. Mikey o descreve de forma amorosa e heróica, apesar de o chamar em diversos pontos, de babaca. Isto é muito legal e era muito expressado em livros e filmes daquela década também, não que hoje não exista mais isso, pelo contrário, entende-se que foi naquela época que essa barreira preconceituosa - de que achar o irmão mais velho um herói fosse coisa de maricas -, foi quebrada totalmente.

Vocês devem estar pensando, ''mas que cara chato, quer me fazer ler um livro onde a história se passa lá na época da minha vó!'', mas não, não é bem isso. Na verdade, o livro é recomendado para todas as idades e épocas justamente por se tratar de uma obra com mensagem bonita, leve, cativante e corajosa.

Never Say Die

''Os Goonies, na verdade, é um filme sobre a amizade, sobre manter-se unido. O sonho de cada criança é poder estar no controle de seu próprio destino, ainda que apenas por um sábado à tarde. Não seria incrível nunca perdermos esse sonho? A verdadeira magia dessa história está sobretudo naquilo que eles se tornam uns para os outros, de uma maneira muito especial.''

- STEVEN SPIELBERG -

Sobre o material da Darkside? Sem comentários, aliás, só merece elogios. A capa é linda demais, as folhas são amareladas e os capítulos não são longos e são divididos com folhas negras. Nessa edição do livro, a parte interior da capa e contracapa torna-se o mapa do tesouro quando as orelhas são abertas. Um exemplo de Editora Top.

Olhem que lindo, o livro traz o grande mapa do tesouro encontrado pelos Goonies.
Enquanto Mikey relata trechos relacionados ao mapa, podemos averiguá-lo também.

Por fim, classifico ''Os Goonies'' de James Kahn com 4 estrelas e recomendo o livro para vocês que gostam e que também precisam de mais aventuras em suas vidas. Tenho certeza que vocês não vão se arrepender.



Fiquem a vontade para deixarem suas opiniões aqui na matéria e enquanto isso, seguirei com minhas leituras, que digamos, estão sendo maravilhosas.

Abraços e até a próxima.


Comente com o Facebook:

12 comentários:

  1. Não te falei, mas eu comprei esse livro por sua influência. Ele chegou hoje.
    Agora, com sua resenha, tenho certeza de que fiz um bom negócio. Mas que história é essa de livro do tempo da avó? Eu sou um tipico garoto dos anos 80. Tá me chamando de velho? rs...
    Só não entendo, onde eu estava que nunca ouvi falar desse livro nos anos 80, mas tudo bem!!!!
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não estou chamando de velho não, só falei relacionado aos mais jovens que dizem que a época já está muito longe, rs. Um forte abraço e obrigado. Fico feliz por ter comprado o livro, tenho esteja que você vai gostar também. Valeu!!!

      Excluir
  2. Parabéns pela resenha Leonardo! Muito bem elaborada.Abraço!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Luciano.

      Obrigado pelos comentários.
      Abraço!

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Que legal Léo não li este livro ainda, mas tenho vontade. Lembrei de quando assistia o filme e adorava, morria de medo do filho grandão (monstro) que vivia preso mas que no final era bonzinho.
    Parabéns adorei sua resenha!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo Luciana, eu também vi muitas tardes esse filme. Boas lembranças. Agora, em livro, é mais uma forma de recordar o tempo e aumentar a coleção.

      O filho-monstro era mesmo, de certa forma, assustador.

      Beijos, e obrigado pelo comentário.

      Excluir
  5. Chegou hoje a minha edição d'Os Goonies da Dark Side, eu tô apaixonada, nossa. Só que eu comprei a edição comemorativa, aquela de capa dura, ela vem com um mapa solto que pode ser um poster também, é tudo tão lindo!! hahahaha
    A Dark Side nunca deixa a desejar nas suas edições, ainda mais as especiais.


    Abraços! :)
    Controle Literário

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela visita,Tisa. A versão comemorativa é linda demais. A Darkside realmente não deixa a desejar, sempre arrasa nas suas edições.

      Abraços!!!

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd