domingo, 19 de julho de 2015

Texto: ''O Interlúdio'', a louca transição entre infância, adolescência e saudade

O Interlúdio

Era tempo de alguns beijos, alguns casos.
Outros acasos, também amassos.
Incertezas e vacilos, desconfianças e censuras.
Era tempo de viver, de aproveitar, de querer, de rejeitar.
Tinha que ser honesto mas faltou contestar. Devia ter coragem mas no fim,
ficar em cima do muro valeu a pena, era só diferenciar.
Dias de vento, tardes de pipas, no sítio alguém inventava
um momento e eu só deixava o momento me levar.
Voltava a ser adulto ou continuava a lamentar?
Nos instantes esquisitos eu era o de antes,
no silêncio da noite tinham dois participantes.
O terceiro elemento nos deixou saudade,
o quarto e o quinto, honestidade.
Era tempo de repetir, de renovar, de ir adiante, aprofundar.
Fazer acontecer ou deixar rolar?
Era tempo de se perguntar, de observar, de cantar e dançar.
Entre brigas e rejeições o amor cabia aonde?
O amor cabia ali, dentro dele, dentro dela, só faltava o achar.
Era tempo de correr, de gritar, de bater, de reclamar.
Vamos andando ou vamos voar?
A bike a gente tinha que arrumar e o cabelo não tinha tempo pra ajeitar. Pra que
tantas opções se eu podia escolher a primeira.
Mas infelizmente, nem sempre escolher é querer e querer não é poder.
Eu tinha tudo só não tinha o medo, queria tudo menos o desprezo,
escolhia tudo mas cade o desejo?
Em tempos de paz a maré era boa, já nos de guerra faltava a canoa.
Era tempo de verbalizar o verbo, de metodificar o método,
de contradizer o que era dito, de encarar o esquisito.
Era tempo de partir, de voltar,
de sair (de cena), de dizer adeus (que pena).
Fiz as malas, voltei voando, sai correndo.
Articulei um beijo, senti desejo.
Pensei em mim, no meu sossego.
Larguei mas não abandonei. Chorei mas suportei.
E os sentimentos? Estes eu guardei.


Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Otimo post, adorei. Capitou bastante as emoções da transição, a questão de escolhas, do adeus... muito bom mesmo. Poema muito reflexivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este poema faz parte da obra ''O Eterno Menino''.
      Particularmente, o adoro!

      Um abraço meu amigo, que bom que tenha gostado.

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd