domingo, 15 de setembro de 2013

Notícia: Primeiras informações sobre o meu novo livro

Olá, é com muita alegria que venho deixar aqui as primeiras anotações sobre o meu novo trabalho, intitulado de ''Mistério na Casa da Rua Severin - A História dos Desconhecidos''.

Trata-se de uma narrativa de Érico Hurz, um jovem complicado de quatorze anos que em casa nunca se entende com o seu pai Henderson. Em razão das várias brigas, após uma nova discussão, o pai tem a decisão de o mandar para a casa de Bárbara Retten, tia de Érico, moradora da cidade de Caçador, Santa Catarina, a fim de que ele passasse o restante das férias lá como castigo. Érico e a irmã Kethelyn, jovem de quinze anos que por vontade própria acompanhou o irmão, conhecem os primos Brendon e Michael Retten, irmãos de doze e quatorze anos que escondem dolorosos mal tratos de infância quando trabalhavam na lavoura do sr. Lhidvan Severin, austero polonês detentor das grandes economias da cidade naquele tempo. Érico conhece a linda Abigail Bardini, amiga de seus primos, pela qual apaixona-se a primeira vista e acaba a atraindo também pelas curiosidades sobre o caso. Michael torna-se ''o elemento principal'', assim mencionado por Érico, por saber de muitas coisas sobre o mistério dos homicídios daquela família em 1980. Após perceber que é vigiado pelos espíritos dos membros da família Severin, o esquisito e oportunista Michael envolve os demais em um jogo urdido conduzindo-os diretamente a casa velha e abandonada da Rua Severin. Lá começa a acontecer coisas estranhas e sobrenaturais que os embrulham cada vez mais dentro daquele mistério. Conseguirão eles descobrirem quem foi o assassino cruel capaz de matar todos os Severin anos atrás?


''A obra foi parcialmente baseada na pequena crônica ''O blá, blá, blá de Michael'' produzida juntamente com Matheuz Silva para um trabalho escolar. Na ocasião era necessário criar uma curta história com informações dos personagens, local, época e datas. Ao terminarmos, a vontade de continuar permaneceu presa dentro de mim. No mesmo dia, ainda empolgado com aquilo tudo, criei um rascunho que serviu como sinopse para mais tarde dar continuidade ao conto. Não há ideias escabrosas na obra, refere-se a assombrações, as coisas que as crianças morrem de medo de ver quando se apagam as luzes, os pesadelos que até os adultos tem com os seus maiores medos, afinal todos nós somos vulneráveis, as pessoas veem coisas sobrenaturais, mas ninguém acredita nelas. Confesso que foi trabalhoso, eu nunca havia pensado em criar uma fábula misteriosa, mas adorei o desafio. Contei também com a ajuda da canção ''Kings And Queens'' da banda de hard rock norte americana Aerosmith. O ritmo e o som meio obscuro aguçaram o conceito das mortes e foi da letra que extrai grande parte da história dos Severin. Há alusões um pouco mais ásperas sobre dois dos diversos males do nosso mundo, o trabalho escravo e os meios de exploração, preferi não me aprofundar muito no assunto e admito que até tentei camuflar ao máximo isto na obra, porém, é bom que fique, afinal é uma realidade. Eu, como amante da literatura infantojuvenil, optei por manter a linguagem comum em histórias do gênero, assim como os personagens jovens, suas ideias e atitudes e gírias da cidade onde se passa a narrativa. Estou muito satisfeito, embora a obra ainda não esteja concluída, sei que já é uma nova vitória esse grande passo que Deus me permitiu dar. Ainda não há dia exato para o lançamento, mas daqui a algumas semanas ela estará finalizada. Em breve estarei escrevendo aqui no blog os agradecimentos especiais.''

Para ver a sinopse original do livro acesse no site oficial: leootaciano.wix.com/ruaseverin
Informação: Obra recomendada para maiores de 12 anos
 ________________________________

''Eu, com os meus quatorze anos ainda não sabia exatamente o que significava o amor, mas no meio de toda aquela história escusa acabei descobrindo de um jeito desfigurado a importância daquele sentimento. Ter as pernas estremecidas depois de perceber um fascínio pela guria de quinze anos era curioso, pelo menos pra mim.''

''Os seus olhos avermelhados e famintos que transmitiam uma grande ganancia de vingança, foram sem dúvida, a coisa mais terrível que eu tinha visto até o momento. Naquela noite eu ainda não tinha sentido tanto pavor assim. A sensação era péssima e o medo imensurável, a tremura em cada corpo vivo dentro daquela casa escura era incontrolável, o vento que passava trazia consigo o sabor do outro mundo e as coisas ao redor, como se tivessem olhos, pareciam vigiar cada ação nossa. Os tiquetaques que saiam da boca do espírito comiam cada segundo de nossas vidas.''

''Senti aquele frio de novo, houve distorção, ruídos e vozes que bem distante gritavam agoniadas. De repente, me vi flutuando. Eu estava pendurado com uma corda no pescoço. Meu corpo balançava seguindo a direção do vento. Não havia dor e nem conseguia me mover, era como estar dentro do corpo de Janel, sentindo tudo o que ele sentiu no dia em que foi assassinado.''

Comente com o Facebook:

2 comentários:

  1. Muito legal essa história e muito engraçada a situação que fez com que ela surgisse.
    Parabéns Leonardo!!!

    ResponderExcluir
  2. Valeu Arthur, obrigado pela visita.
    Abraços garoto!

    ResponderExcluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd